Cadeira nº 11 PDF Print E-mail
 
DR. OTTO EDWARD HENRY WÜCHERER (1820-1873)

Antonio Carlos Nogueira Britto

Nasceu na cidade do Porto em 7 de julho de 1820 de pai alemão e mãe flamenga. Graduou-se em Medicina em 1841. Chegou à cidade da Bahia em 1843, onde faleceu em 7 de maio de 1873. Está consignado no “Arquivo de cartas e exames de 1832 a 1873” da Prefeitura da cidade do Salvador: “Dr. Otto Edward Henry Wücherer. Doutor em medicina e cirurgia pela Faculdade de Tubingen. Título passado em 14 de Dezembro de 1843. Registro em Sessão da Câmara de Nazaré de 8 de Janeiro de 1844. Registro da Câmara de 8 de Março de 1845, de Cachoeira. Registro da Câmara da Bahia  de 14 de Novembro de 1849”. Cf. Coni AC. A Escola Tropicalista Bahiana. Livraria Progresso Editora: Salvador, 1952, p. 21.

Suas pesquisas originais científicas, empreendidas com outros dois celebrados pesquisadores estrangeiros, o inglês John Ligertwood Paterson e o português Silva Lima, formaram na Bahia, no Segundo Reinado, provavelmente o mais importante centro de cultura médica da América do Sul, criando a famosa Escola Tropicalista da Bahia, utilizando metodologia experimental no estudo das endemias aqui reinantes.

Wücherer foi o fundador da helmintologia brasileira, valendo-se de método experimental, através de pesquisas microscópicas e anátomo-patológicas. Formulou hipóteses em derredor das causas da hipoemia intertropical e das hematoquilúrias dos paises de clima quente, utilizando no Brasil, pela primeira vez, o microscópio de Leeuwenhoec, para diagnosticar e pesquisar as doenças provenientes da África, descrevendo e classificando o ancilóstomo duodenal visto nos opilados e, ao depois, em 1866, descobriu em urinas quilosas embriões da filária conhecida como filaria de Bancroft, pelo fato desse cientista ter descoberto o parasita adulto.

Wücherer publicou na histórica e respeitável Gazeta Médica da Bahia, números 3, 4, 5, 6, da 1.ª série V. 1. (1866-1867) o artigo: “Sobre a moléstia vulgarmente denominada opilação ou cansaço”. A sua tese é contestada por insigne lente da Faculdade de Medicina da Corte, em sessão da Academia Imperial do Rio de Janeiro. Wücherer replica na Gazeta Médica da Bahia, 1.ª série, volume 2, 15-1-68 – p. 150, asseverando que “questões  sobre causa e efeito  não se decidem por opiniões ou por votos, e sim pela apreciação rigorosa dos fatos”.

Ao lado de John Ligertwood Paterson, José Francisco da Silva Lima, Ludgero Rodrigues Ferreira, Antonio Jozé Alves, Antonio Januário de Faria e Manoel Pires Caldas, fundou a Gazeta Médica da Bahia em 1866.